segunda-feira, 6 de maio de 2013

A Bacia Hidrográfica Como Unidade de Gestão e Planejamento


      O presente texto abordará questões como: definição de rede hidrográfica; seus principais elementos e relevância. Além disso, apontaremos a importância da bacia hidrográfica para a gestão dos recursos hídricos.


      Por rede hidrográfica entendemos ser uma determinada área drenada por um grande rio e seus afluentes. Corrobora com este conceito Waldenize Manoelina do Nascimento e Maria Garcia Villaça ao citar a definição proposta por Guerra: “A bacia hidrográfica foi definida segundo Guerra (1978, p.48), como um conjunto de terras drenadas por um rio principal e seus afluentes, p.3”.

      Os principais elementos que caracterizam uma bacia hidrográfica são: divisores de água; seção de controle; rede ou sistema de drenagem e forma da bacia hidrográfica. Os divisores de água são os limites da bacia, determinando a direção de fluxo da rede de drenagem. Seção de controle, que é lugar onde toda a água captada da bacia é drenada. Rede ou sistema de drenagem, que é formada pelo rio principal e seus afluentes ou tributários, sendo importante para o manejo de bacias hidrográficas. Por fim, temos a forma que se apresenta de modo diverso. Bacia com formato arredondada são susceptíveis a inundações.

       Por fim, vamos conhecer a relevância da bacia hidrográfica para a gestão dos recursos hídricos. Ora, sua importância é diversa como: uso nas atividades agrícolas, principalmente em regiões semiáridas, onde quem tem capital, pode fazer uso da irrigação; conservação da fauna e flora; pesca; recreação, uso doméstico e industrial. Concernente ao geoturismo Lílian Carla Moreira Bento e Sílvio Carlos Rodrigues expressa que:
Devido a beleza e à gama variada de atividades educativas e de aventura que podem ser realizadas em quedas d’água, esses locais despontam com grande potencial para serem aproveitados pela atividade turística p.12.

      Enfim, a bacia hidrográfica é essencial não somente pelos benefícios para a sociedade, mas também para toda vida que depende de sua riqueza natural. Portanto, sua gestão e planejamento devem ser realizados sob a perspectiva sustentável.

 
Referências:

Carla, Lílian Moreira Bentos e Carlos, Sílvio Rodrigues. Geomorfologia Fluvial e Geoturismo – O Potencial Turístico de Quedas D‘Água do Município de Indianópolis, Minas Gerais;

Manoelina, Waldenize do Nascimento e Garcia, Maria Villaça. Bacias Hidrográficas: Planejamento e Gerenciamento.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página